Wellington defende vacinação célere para retomada da economia

Segundo Dias, o país tem toda expertise em campanhas de vacinação.

Presidente do Consórcio Nordeste, o governador do Piauí, Wellington Dias, coordena o Fórum de Governadores do Brasil e nesta quarta-feira (16), participará de reunião com o ministro da Saúde, coronel Eduardo Pazuello e com o presidente da República, Jair Bolsonaro, e espera trazer boas soluções para o Brasil. “Espero a definição de compra das vacinas”, disse o governador, citando a decisão do Supremo Tribunal Federal que cobrou uma resposta do Ministério sobre o calendário de imunização do país e reuniões anteriores entre os governadores e Ministério da Saúde.

Segundo Wellington Dias, o país tem toda expertise em campanhas de vacinação e o que se exige é a garantia de um cronograma mais específico. “Por exemplo, se vamos comprar a vacina da Astrazeneca, qual o número de doses e o que será possível imunizar nos meses de janeiro, fevereiro, março e abril?”, questiona o governador. O gestor também defende a divisão igualitária das vacinas entre todos os estados brasileiros.

O governador piauiense ressaltou que o Brasil tem o Instituto Butantan e a FioCruz que têm capacidade produzir 30 milhões de doses por mês, comprando somente o imunizante de outros países. Além dessa capacidade de produção, ele ressalta que, com a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em relação à eficácia e segurança das vacinas, o país deve garantir o máximo de aquisição de doses para, num tempo célere, imunizar a população brasileira. “Temos que trabalhar para garantir, em curto prazo, a saída do Brasil desta pandemia. É preciso alcançar as pessoas que têm maior risco, que trabalham na saúde, segurança, vigilância sanitária, pessoas com mais de 60 anos. Temos, mais ou menos, 70% a 75% dos óbitos de Covid-19 nesse público”, explica.

O governador destaca que o país precisa voltar à normalidade. Por isso, é necessário também um plano para imunizar professores, estudantes, profissionais de turismo, eventos. “É necessário trabalhar um plano para as 27 Unidades da Federação e os mais de 5 mil municípios. Precisamos salvar vidas, a economia e manter a rede de proteção social”, declarou.

Junto com o Congresso Nacional, o Wellington Dias afirma a necessidade de garantir as condições de um plano estratégico para que, à medida que a população seja vacinada, haja também um plano para retomada da economia de forma segura, com geração de emprego e renda. “Nós, governadores e municípios, queremos contribuir e ajudar nessa estratégia nacional em defesa do Brasil”, diz.

Governador defende SUS

O governador piauiense participou de forma virtual do lançamento da Campanha Nacional “O Brasil precisa do SUS”. Um dos principais objetivos da campanha é pressionar o Congresso a manter o piso emergencial da Saúde para 2021 e ressaltou que o Brasil deu um passo importante na construção do SUS. “Claro que deve melhorar, mas essa integração, inclusive, com a participação do setor privado e entidades filantrópicas é importante para o Brasil”, disse.

Wellington Dias destacou a importância do Sistema Único de Saúde para o bem-estar da população brasileira já que muitos países que não têm um sistema de saúde similar para sua população. “Aqui temos a consulta gratuita, os exames, a tomografia, garantias de internações, leitos clínicos, UTIs, um corpo de profissionais dedicados e muitas histórias de sucesso. Quanto custa isso na vida de uma pessoa? Aqui no Brasil, é um direito, independente da condição financeira. Não é só um jogo de palavras: defender o SUS é nos colocarmos como brasileiros. Estamos trabalhando com a nossa bancada federal para aperfeiçoar ainda mais esse importante serviço. Precisamos defendê-lo bravamente”, finalizou.