Programa Lagoas do Norte investiu mais de R$ 123 milhões na segunda fase

Ações e projetos realizados em uma área formada por 13 bairros da região Norte da cidade.

Trabalhando para implantar sistemas eficientes de drenagem e garantir qualidade de vida para a população de quase 100 mil pessoas, o Programa Lagoas do Norte investiu mais de R$ 123 milhões nos últimos oito anos. Os recursos aplicados pela Prefeitura de Teresina são oriundos de financiamento junto ao Banco Mundial para obras, ações e projetos realizados em uma área formada por 13 bairros da região Norte da cidade.

Na fase atual do programa, o principal foco das intervenções é a construção de sistemas de drenagem para controlar o nível das águas, protegendo os imóveis, principalmente aqueles que ficam mais próximos das lagoas, que são os mais atingidos pelas enchentes.

No total, estão sendo aplicados cerca de R$ 22 milhões em obras nas lagoas do Mazerine, Oleiros, Piçarreira e São Joaquim. Também estão sendo construídos equipamentos como quiosques, academias, quadra, campo de futebol, playgrounds, prédio administrativo, arborização, bancos, lixeiras, pistas para caminhada e ciclofaixas.

“As obras de drenagem e o cuidado com as lagoas já amenizaram muito os impactos das chuvas na região e hoje não se vê mais casas alagadas, cena bem comum antes do programa. É importante falar também dos benefícios das ações na área social. O programa segue atuando e construindo equipamentos para proteger as famílias, garantindo moradia segura e mais qualidade de vida”, ressaltou o prefeito Firmino Filho.

Também nesta segunda fase, o Lagoas do Norte somou diversas outras ações, como a construção do Parque Ambiental Matias Matos, no Mocambinho, a reforma do Parque Ambiental Encontro dos Rios, além da reforma completa da quadra poliesportiva localizada na Avenida Boa Esperança. Também foi feita a reforma da Casa de Punaré, que abriga meninos e adolescentes em situação de vulnerabilidade, construção da Praça dos Orixás em homenagem às religiões de matrizes africanas e o Residencial Parque Brasil, com 1.022 unidades habitacionais destinadas aos beneficiários do programa e famílias em situação de vulnerabilidade social.

Obras de esgotamento sanitário também fazem parte do trabalho, onde foram aplicados mais de R$ 1,6 milhão antes da subconcessão da Agespisa para a empresa Águas de Teresina. No momento, está em execução o Canal do Matadouro, que antes era usado para deposição de lixo e caminho irregular para as águas das chuvas. “Estão sendo aplicados mais de R$ 2,48 milhões no canal, que vai melhorar a drenagem da região e também terá todos os equipamentos para a promoção da saúde e lazer da população”, comenta Márcia.

Outra área de atuação do programa é o desenvolvimento econômico, com a elaboração de um diagnóstico em vários setores de negócios já estabelecidos na cidade. Essa iniciativa foi reconfigurada por conta da pandemia e agora está destinada a fortalecer os negócios que sofreram com a crise econômica.

“Temos um grande potencial para a realização de obras, ações e projetos no Programa Lagoas do Norte. Nos três eixos de atuação, temos conseguido levar melhorias significativas à vida das pessoas. O trabalho continua no mesmo ritmo, investindo também na criação de uma rede de novos procedimentos mais eficientes em várias secretarias municipais”, finalizou Márcia Muniz, diretora geral do programa.