Piauí terá atlas de energias renováveis

O documento tem finalidade ser uma ferramenta de atração de investimentos dentro e fora do Brasil

O governador Wellington Dias se reuniu, nessa segunda-feira (7), com o secretário de Estado da Mineração, Petróleo e Energias Renováveis, Wilson Brandão, para tratar da confecção do Atlas das Energias Renováveis do Piauí. O documento tem por finalidade ser uma ferramenta de atração de investimentos dentro e fora do Brasil, demonstrando os projetos instalados, os já em andamento e ainda toda a potencialidade do estado nessas áreas. Além de físico, o atlas deve contar também com uma versão digital.

“O atlas do Piauí de energias renováveis, eólica e solar deve conter o máximo de informações para que sirva de subsídios para investidores e garantir que qualquer pessoa do Brasil e do mundo possa ter dados técnicos e, com base em informações seguras, possam trabalhar as condições de investimentos. A Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEeolica), entidade nacional do setor de energia, e a Associação Brasileira de Energia Solar estão dispostas a trabalhar com o Piauí nesse atlas, onde teremos os locais com maior potencial, áreas disponíveis, situações ambientais, a incidência do sol, velocidade do vento, ou seja, informações que ajudarão os investidores a despertar o interesse em investir no Piauí”, explicou o governador Wellington Dias.

“Com esse documento, vamos mostrar para o Brasil e para o mundo todo o nosso potencial. O que já temos nessa área de energias renováveis: produzindo, em operação, sendo construído e a ser construído. E dessa forma, o Piauí cresce nessa área. O Piauí, no Brasil, é considerado um dos estados que está em franco desenvolvimento e um dos que mais constrói nessa área de energias renováveis, e temos todo o apoio do governador Wellington Dias”, declarou Wilson Brandão.

Na oportunidade, os gestores também trabalharam a atração de investimentos para o estado, dentre elas a que está sendo construída pela empresa Celeo, com um linhão que vai de Teresina em direção a Tianguá, que integra aquela região.

De acordo com Wellington, é um investimento que chega próximo a R$ 1 bilhão, gerando emprego e renda. “Estamos em uma fase já avançada. A Celeo trabalha um investimento na área de energia solar, uma novidade para nossa região, com projetos robustos, maiores, que ajudam a descobrir uma nova fronteira para a energia solar e eólica, por conta da presença desse linhão. A energia gerada em Pedro II, Domingos Mourão e São Miguel do Tapuio, com a presença desse linhão é possível que o que é produzido nessa região possa ser vendido para qualquer lugar do mundo”, destaca Dias.