Piauí tem a 10ª maior proporção do país de mortes por causas não naturais

A pesquisa mostra que, em geral, as mortes não naturais afetam mais as pessoas do sexo masculino.

Em 2019, cerca de 9,2% das 18,4 mil mortes registradas oficialmente no Piauí foram motivadas por causas não naturais, como homicídios, suicídios, afogamentos e acidentes de trânsito, por exemplo. O estado de Alagoas teve o mesmo percentual do Piauí (9,2%). A proporção dos dois estados é a décima maior do país, segundo as Estatísticas do Registro Civil 2019, do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

No Brasil, cerca de 7,4% das 1,3 milhão de mortes ocorridas em 2019 foram provocadas por causas não naturais. O estado com maior percentual é o Amapá, onde 14,7% dos óbitos tiveram causas não naturais. Com exceção do Mato Grosso, os estados com as dez maiores proporções de mortes não naturais estão localizados nas regiões Norte e Nordeste. O Distrito Federal tem a menor taxa, apenas 5,4%.

A pesquisa mostra que, em geral, as mortes não naturais afetam mais as pessoas do sexo masculino. No Piauí, um homem tem quase seis vezes mais probabilidade de morrer por causas não naturais do que uma mulher. Um total de 1.697 pessoas morreram por causas não naturais em 2019, no Piauí, sendo que 1.449 eram homens e apenas 247 eram mulheres.

Em 2011, o Piauí chegou a ter o menor percentual do país de mortes não naturais (6%). Na época, a média de mortes provocadas por causas não naturais no Brasil era maior, cerca de 9,6%. O estado começou a subir de posição em 2012, quando registrou a proporção de 7,9%, que ainda era a terceira menor do país.

As Estatísticas do Registro Civil trazem ainda informações sobre nascimentos, casamentos, divórcios. As informações foram coletadas junto aos Cartórios de Registro Civil de Pessoas Naturais, às Varas de Família, aos Foros ou Varas Cíveis e aos Tabelionatos de Notas.