Netflix libera 'Os 7 de Chicago' de graça no YouTube

O filme estará disponível de sexta-feira (19/2) até domingo (21/2)
Foto: ReproduçãoNetflix libera 'Os 7 de Chicago' de graça no YouTube
Netflix libera 'Os 7 de Chicago' de graça no YouTube

  A Netflix vai disponibilizar gratuitamente Os 7 de Chicago, de Aaron Sorkin, por dois dias, durante este fim de semana em seu canal oficial americano no YouTube.

O filme estará disponível de sexta-feira (19/2) até domingo (21/2) para celebrar o aniversário do veredito do julgamento histórico retratado na produção.

Em comunicado, o diretor e roteirista Aaron Sorkin diz que a ação foi feita para "relembrar os verdadeiros patriotas que inspiraram aquela geração a tomar as ruas". "Quando começamos a filmar no último inverno, nós sabíamos que a história que contávamos não apenas era um capítulo importante da história americana, mas muito relevante aos eventos de hoje", continua diretor. "Nós certamente não precisávamos tornar mais relevante os eventos, mas eles se tornaram".

A data também ganhou um vídeo comemorativo da Netflix, que faz parte de uma campanha mais ampla para chamar atenção para o filme, na expectativa de conquistar vagas entre os indicados ao Oscar 2021. Os 7 de Chicago é um dos filmes da plataforma que chega com grande força na temporada de premiações cinematográficas dos EUA.

A trama de Os 7 de Chicago é baseada no julgamento de ativistas acusados de conspiração após a realização de protestos que, ao serem reprimidos violentamente pela polícia, viraram um tumulto de grandes proporções em Chicago em 1968.

Os organizadores do protesto - incluindo Abbie Hoffman, Jerry Rubin e Tom Hayden - foram acusados de conspiração e incitação ao tumulto e o julgamento que se seguiu foi um dos mais notórios da história dos EUA. Os líderes se tornaram o centro de um debate na sociedade americana sobre os limites do direito de protesto e do uso da força policial para conter manifestações pacíficas. O caso também atraiu a atenção da mídia por refletir a repressão dos movimentos que se opunham à Guerra do Vietnã e assumiam posturas pacifistas. Alguns dos ativistas acabaram condenados, enquanto outros foram inocentados - eventualmente, no entanto, todas as sentenças foram suspensas.

Vale apontar que os paralelos que podem ser feitos com protestos atuais dizem respeito apenas ao movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) e não ao movimento fascista que atacou a democracia americana por meio do cerco e invasão do Congresso.

O novo vídeo disponibilizado pela Netflix conta com a participação dos atores. E também lembra que o filme conta com um elenco grandioso: Sacha Baron Cohen ("Alice Através do Espelho"), Eddie Redmayne ("Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald"), Jeremy Strong ("Succession"), Alex Sharp ("As Trapaceiras"), John Carroll Lynch ("Fome de Poder"), Danny Flaherty ("The Americans"), Noah Robbins ("Evil") e Yahya Abdul-Mateen II ("Watchmen") como Bobby Seale. Além deles, o elenco destaca Joseph Gordon-Levitt ("Power"), Frank Langella ("Kidding"), Mark Rylance ("Ponte dos Espiões"), Michael Keaton ("Homem-Aranha: De Volta para Casa") e Kelvin Harrison Jr. ("Ondas").