HGV realiza primeira captação e transplantes renais do ano

Os rins captados foram transplantados em pacientes da fila de espera pela equipe de transplante

A equipe de captação de órgãos e tecidos para transplantes do Hospital Getúlio Vargas (HGV) realizou, na quinta-feira (4), a primeira captação de 2021. O HGV é o único no Piauí a fazer esse tipo de procedimento.

A doadora foi uma senhora de 59 anos, que estava internada em um hospital particular de Teresina e teve morte encefálica confirmada após a realização de todos os exames necessários. A causa foi um acidente vascular cerebral hemorrágico.

Foto: AscomHGV realiza primeira captação e transplantes renais do ano
HGV realiza primeira captação e transplantes renais do ano

  

Foram captados os rins e as córneas. O fígado também foi retirado e enviado para o Ceará.

A ação se deu por meio da Central de Transplantes do Estado, Organização de Procura de Órgão e Tecidos (OPO) e Banco de Tecidos Oculares (BTOC) do HGV.

Dois pacientes que aguardavam na fila de espera receberam os rins na sexta-feira (5). Os procedimentos foram realizados pela equipe de transplante renal do HGV. Os beneficiados foram R.C.G, 52 anos, e  C.S.A, 18 anos. Os dois continuam internados no hospital e evoluem bem.

 

O coordenador de Enfermagem da OPO, Gilson Cantuário, explica que todo o processo teve sucesso graças à atuação rápida das equipes após o diagnóstico da paciente. ¨Mas nada seria possível sem a aceitação da família, que conseguiu transformar a dor da perda em esperança para outras pessoas que dependem do transplante”, acrescenta o enfermeiro.

O diretor-geral do HGV, Osvaldo Mendes, lembra que, mesmo diante das dificuldades impostas pela pandemia da Covid-19, o hospital vem mantendo a realização dos transplantes renais. ¨Esse tratamento muda o dia a dia de pessoas com doença renal crônica, pois possibilita que elas tenham uma melhor qualidade de vida¨, pontua o gestor.

“Somente a família tem o poder de autorizar a doação e, quando a família diz sim, a vida continua. Por isso, é fundamental que as pessoas, em vida, manifestem aos parentes o desejo de doar os órgãos. Precisamos aumentar o número de doadores no Piauí”, destaca Pablo Santos, presidente da Fepiserh, órgão que gerencia o HGV.