HGV inicia programação de cirurgias bariátricas de 2021

Duas pacientes, uma de 35 anos e outra de 48, foram submetidas ao procedimento no sábado (13).

O Hospital Getúlio Vargas (HGV) iniciou, no sábado (13), a programação de cirurgias bariátricas de 2021. Duas pacientes, uma de 35 anos e outra de 48, foram submetidas ao procedimento conhecido como redução de estômago. As cirurgias foram bem sucedidas e ambas tiveram alta no domingo (14).

Marlon Moreno, coordenador do Serviço de Cirurgia Bariátrica e Metabólica do HGV, explica que o hospital utiliza a videolaparoscopia, técnica mais moderna e menos invasiva, possibilitando um período mínimo de internação. “A recuperação é mais tranquila e sem os problemas que poderiam ser ocasionados em cirurgias realizadas por corte”, completa o médico.

O diretor-geral do HGV, Osvaldo Mendes, lembra que “o hospital é a única unidade de referência no estado do Piauí credenciada para esse tipo de tratamento, pelo Sistema Único de Saúde (SUS) “.

O serviço conta com uma equipe multiprofissional formada por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, psicólogos e nutricionistas, que acompanham os pacientes antes, durante e no pós-cirúrgico.

O presidente da Fepiserh, Ítalo Rodrigues, destaca a importância da retomada das cirurgias bariátricas, sobretudo, em um contexto de pandemia. “A cirurgia bariátrica é o melhor tratamento para os casos de obesidade mórbida com doença associada. É um fator de risco para muitas doenças, entre elas a Covid-19. Quanto mais ampliarmos o serviço, maior será o impacto positivo na população. A bariátrica não é um procedimento estético, é uma cirurgia que garante qualidade de vida e saúde aos pacientes”, afirma o gestor.