Governador entrega mais de 180 mil chips com internet a estudantes

Isso vai garantir acesso liberado à internet por seis meses
Foto: AscomGovernador entrega mais de 180 mil chips com internet a estudantes
Governador entrega mais de 180 mil chips com internet a estudantes

  O governador Wellington Dias entregou, nesta segunda-feira (23), em solenidade no Palácio de Karnak, mais de 180 mil chips aos estudantes da rede pública estadual. Desses, são 140 mil com tecnologia 4G da Claro e outros 40 mil da operadora Vivo. A iniciativa da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) irá garantir que os estudantes matriculados na rede estadual de ensino tenham acesso liberado à internet por seis meses e possam assistir às aulas remotamente.

De acordo com Wellington, os chips garantem o nivelamento do conhecimento entre os estudantes e pretende ainda adquirir tablets para auxiliar no acesso às aulas. “Em uma parceria com a Embratel e com a Claro, estamos entregando 140 mil chips para a nossa rede de educação básica e damos um passo à frente. Desde março já estamos trabalhando com um modelo virtual, mas agora com um sistema mais moderno, no qual o aluno tem acesso à aula online e pode ter a interação com os professores e, com isso, garantir as condições que eram permitidas apenas em sala de aula. Estamos buscando alternativas para dar mais um passo, o objetivo é de adquirir tablets para uso, não apenas neste momento, mas para que possamos avançar no uso de tecnologias modernas para a educação e garantir o nivelamento de conhecimento”, ressaltou Dias.

Foto: AscomIsso vai garantir acesso liberado à internet por seis meses
Isso vai garantir acesso liberado à internet por seis meses

  Os chips da operadora Claro adquiridos e distribuídos aos estudantes possuem tecnologia 4G e pacote de dados de 20 GB mensal para que os alunos tenham acesso aos conteúdos educacionais ofertados pela Seduc em plataformas digitais de videoaulas, Canal Educação, Pré-Enem Seduc, bem como o aplicativo iSEDUC Aluno, onde as aulas são disponibilizadas.

Ellen Gera explicou que para receber o chip o estudante deverá estar devidamente matriculado e apresentar ao professor e diretor da escola a dificuldade de acesso à internet. “Tudo irá ocorrer por meio de sua escola. Para ter acesso ao chip, ele precisa estar devidamente matriculado em uma escola da rede estadual, com o registro da frequência apontada pelo professor ou a dificuldade do estudante quanto ao acesso à internet. Portanto, a Seduc irá distribuir para gerências regionais e essas irão distribuir para as escolas, que entregará para famílias mediante assinatura de um termo de responsabilidade”, afirmou o secretário.

Para que essa tecnologia fosse possível, o Governo do Estado buscou a parceria da Embratel e da Claro, que estão presentes em 170 municípios piauienses, maior cobertura no estado, o que vai possibilitar a ampliação do acesso ao conteúdo digital da educação estadual. Além disso, a Embratel também fornecerá uma solução inovadora, pioneira no Brasil, que facilitará a gestão de dados pela Secretaria da Educação e a comunicação entre professores e estudantes.

“Esse projeto é pioneiro no país, pois é o primeiro que une a entrega de conectividade integrada à gestão de dados para uma Secretaria da Educação do Estado. Estamos muito felizes por participarmos dessa iniciativa inovadora e temos certeza de que vamos ajudar o Piauí a levar o ensino do Estado para o próximo nível”, destacou Maria Teresa Lima, diretora-executiva da Embratel para Governo.

A vice-governadora Regina Sousa reiterou a importância desse projeto para que todos os estudantes tenham acesso às aulas. “Nessa pandemia foi proposto o ensino a distância, mas nem todos tem condições de acesso à internet. Então, esse esforço do governo é no sentido de fazer com que todos os alunos tenham conectividade para receber as aulas, interagir com os professores, assim, estamos superando essa etapa e espero que a gente possa avançar ainda mais, terminar 2020 e começar 2021 sem grandes perdas”, pontuou Sousa.

Jullyane Freitas é estudante do 3º ano do Ensino Médio no Liceu Piauiense e sonha em cursar Biologia. Com a pandemia, apesar de continuar recebendo os conteúdos da Seduc, o acesso à internet dificultou seus estudos, mas agora com o chip ela poderá continuar a ter acesso ao conteúdo com excelência. “A escola vem disponibilizando o material do Enem para que a gente possa continuar estudando, mas acredito que com esse chip vai facilitar mais ainda nosso aprendizado, pois iremos ter acesso melhor e mais rápido e dar continuidade aos nossos estudos”, apontou a aluna.