Com chuvas, Defesa Civil intensifica monitoramento nas 56 áreas de risco

O monitoramento das 56 áreas foi intensificado neste mês de janeiro

A cidade de Teresina permanece com 56 áreas de risco que preocupam a Defesa Civil Municipal, principalmente no período chuvoso O tenente Antônio Linhares, da Defesa Civil Municipal, relata que neste momento a zona Leste possui maior atenção por parte das equipes.

“A região do Satélite e do Ininga, por exemplo, são famílias que moram perto de galerias, ribanceiras e encostas, onde ocorre o deslizamento podendo causar problema maior para essas famílias”, diz. 

O monitoramento das 56 áreas foi intensificado neste mês de janeiro, mas a fiscalização por parte das equipes já vem ocorrendo desde o mês de novembro de 2020.

“Atualmente, nós temos mapeadas 56 áreas de risco em todas as zonas da cidade, incluindo zona urbana e zona rural.  Nós estamos indo (a esses locais) com as equipes constatando in loco as situações de riscos”.

O tenente cita que o maior problema encontrado envolve a má educação dos moradores em continuar jogando lixo, resto de material de construção e de podas de árvores nos bueiros e nas galerias, dificultando a vazão da água nesses locais. 

Além disso, o tenente relata a resistência das pessoas em saírem das áreas de risco. “Ninguém quer sair do seu lar, mas a gente tenta convencer antes que aconteça o problema; essas famílias, convencidas de saírem do local, são acompanhadas e atendidas pelos programas sociais da Prefeitura de Teresina”  

O tenente orienta que se as famílias podem entrar em contato com a Defesa Civil caso a casa em que moram apresentem rachaduras, afundamento de piso e/ou apodrecimento de madeira do teto. O telefone de emergência da Defesa Civil é o 153. O caso a depender da situação é repassado para a Superintendência de Desenvolvimento Urbano e para a Assistência Social.