Brasil bate novo recorde com quase 2 mil mortos em 24h

País supera o recorde batido no dia 3 de março, quando foram somadas 1.910 vítimas

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) informou nesta terça-feira (9) que o Brasil contabilizou mais 1.972 óbitos e 70.764 contágios nas últimas 24 horas na pandemia de covid-19, elevando os totais de vítimas para 268.370 e de contaminações para 11.122.429.

Com os novos dados, o País registra a pior marca de mortes desde o início da pandemia, superando o recorde batido no dia 3 de março, quando foram somadas 1.910 vítimas.

A média móvel de óbitos segue em elevação e chega a 1.573 nesta terça, enquanto que a de casos subiu para 67.929. Os resultados levam em consideração os números dos últimos sete dias.

O Brasil bateu nesta terça-feira, 9, recorde no número de mortes pela covid-19. Foram 1.954 pessoas que perderam a vida nas últimas 24 horas, de acordo com dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa. Até então o maior número era do último dia 3, quando houve 1.840 óbitos por causa do coronavírus.

No total, o País teve 268.568 mortes acumuladas pela doença, com 11.125.017 casos. Os dados do consórcio, composto por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL, são coletados junto às secretarias estaduais de saúde.

O Brasil vive atualmente o seu pior momento da pandemia e está desde 20 de janeiro registrando média de mortes acima da marca de mil. A taxa de letalidade, porém, está em 2,4%, enquanto que a de mortalidade subiu para 127,7 a cada 100 mil habitantes.

Na ranking mundial de países mais afetados pela covid-19, o Brasil fica atrás apenas dos Estados Unidos (527.389) em relação ao número absoluto de óbitos, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins. Já em comparação aos dados de infectados, o país sul-americano fica na terceira posição, atrás de EUA (29.081.612) e Índia (11.244.786).

Com informações da Ansa e do Estadão Conteúdo